»Home»Área de Pesquisa»Variações Geomagnéticas

Pesquisa de Variações Geomagnéticas


O campo geomagnético de origem interna observado no Brasil tem duas características principais: o equador magnético (identificado por localidades com inclinação magnética nula), cortando as regiões norte e centro-oeste do país e caracterizado pelas correntes ionosféricas do eletrojato equatorial, e a Anomalia Magnética do Atlântico Sul (região de mínima intensidade do campo geomagnético total na superfície da Terra,) centrada presentemente no oeste do estado de Santa Catarina e que apresenta o fenômeno de precipitação de partículas carregadas na atmosfera local provenientes dos cinturões internos de radiação.

Os estudos de Variações Geomagnéticas em desenvolvimento no INPE têm direta relação com ambos fenômenos. Procura-se estudar a propagação das micropulsações geomagnéticas (variações com períodos de décimos a centenas de segundo; amplitude de décimos a dezenas de nT) até as regiões de baixas latitudes, sua amplificação na região equatorial, e a possível geração de eventos associados à precipitação de partículas na atmosfera da anomalia por ocasião de períodos magneticamente perturbados.

Os dados necessários a esses estudos são coletados em estações geomagnéticas instaladas em determinadas localidades no território nacional. Esses dados são armazenados em um banco de dados e tornados disponíveis aos membros do grupo para detecção de eventos e determinação de seus parâmetros físicos (amplitude, fase, período característico, polarização, etc.).

Para essas diferentes atividades de operação das estações, processamento e interpretação de dados são utilizados recursos de entidades de fomento à pesquisa e do próprio INPE. Há também a continua necessidade da participação de estudantes de graduação (Iniciação Científica) e de pós-graduação (curso de Geofísica Espacial) para o desenvolvimento desses estudos.